Blog > 2012

O Papel do Gerente de Produto

por Edson Rigonatti em 24/09/2012 em Blog

O Gerente de Produto é como um CEO do produto. Um CEO é responsável por todas as áreas de uma empresa, mas eles não se envolvem em todos os detalhes.

Da mesma maneira, o Gerente de Produto foca apenas no produto, mas se envolve em todas as áreas relacionadas: desenovlvimento, implementação, atendimento, marketing e vendas. Ele não é responsável por todas essas áreas, mas tem que preencher as lacunas, aonde elas existirem.

Para ser bem sucedido nessa tarefa, o Gerente de Produto deve ter um papel de suporte a todas as outras áreas da empresa. Por exemplo, ao suportar a área de Marketing, o Gerente de Produto garante que os materiais de apoio (colateral de vendas), posicionamento de produto e scripts de marketing e vendas reflitam os benefícios e vantagens dos produtos.

Competências, habilidades e atitudes de um Gerente de Produto

– Paixão por produtos: gerentes de produto tem amor e respeito por bons produtos, não importa que tipo de produto, e dedicam sua vida a criar bons produtos. A paixão por um produto é essencial para garantir a motivação necessária para atravessar as diversas dificuldades de mercado, para enfrentar as horas intermináveis de trabalho e para inspirar a equipe, parceiros e clientes.

– Empatia com clientes: o gerente de produto ideal sabe se relacionar com pessoas e com clientes. Ele tem uma curiosidade natural pela vida dos clientes, suas necessidades, seus problemas e suas dificuldades.

– Inteligência: para ser um gerente de produto bem sucedido, é preciso aprender rápido e gostar de aprender. A função se resume a ter bons insights e saber julgar as reais necessidades dos clientes e reais capacidades do produto.

– Ética de trabalho: cada função em uma empresa requer um certo nível de comprometimento e esforço. O gerente de produto é uma das funções com a maior carga de responsabilidade (leia-se dedicação total e absoluta!), já que ele é no final das contas responsável pelo sucesso do produto

– Integridade: o gerente de produto reflete para dentro e fora da empresa os valores do produto. E como ele não tem responsabilidade direta por todas as áreas, ele deve conseguir influenciar as pessoas para que seus objetivos sejam alcançados.

– Confiança: gerentes de produto devem transpirar confiança para transmitir segurança a equipe de vendas e clientes em relação as capacidades e visão de longo prazo (roadmap) do produto.

– Atitude: um gerente de produto bem sucedido se enxerga como o CEO do produto. Ele chama para si a responsabilidade pelo produto, e não fica criando desculpas. Ele sabe que o sucesso do produto depende dele – compreende que existem diversas razões para o produto não ficar pronto na data certa ou não desempenhar como esperado quando fica pronto, mas entende que é sua função eliminar todos os obstáculos.

– Tecnologia: o gerente de produto entende que criar um produto de sucesso requer o entendimento da tecnologia necessária para produzi-lo. Embora idealmente o gerente de produto seja um engenheiro com conhecimento profundo da tecnologia em questão, como sua função não é “colocar a mão na massa”, um bom conhecimento genérico da tecnologia e suas possíveis aplicações muitas vezes é o suficiente.

– Foco: são tantas as possibilidades e distrações envolvidas na definição e evolução de um produto que o gerente de produto deve ter a habilidade de focar nos principais problemas não se deixando sucumbir as tentanções de adicionar infinitas funcionalidades sugeridas por clientes, equipe e investidores. Imprimir uma disciplina de escolhas de funcionalidades que realmente possam impactar as vendas ou a satisfação de clientes é função imperativa do gerente de produto.

– Gestão de projetos: o gerente de produto deve saber priorizar as tarefas, separar o que é importante do que é urgente e principalmente equalizar com maestria a tríade tempo-custo-qualidade.

– Comunicação: o gerente de produto passa a maior parte do tempo se comunicando: descrevendo, educando, persuadindo e evangelizando. É preciso dominar a escrita (emails, especificações, white papers, data sheets, relatórios, etc.) e a arte de apresentações (investidores, equipe, clientes, eventos, etc.).

– Negócios: falar a linguagem das finanças (EBITDA, ROI, CAC, LTV, etc) é essencial para o gerente de produtos se comunicar com a equipe financeira e investidores, assegurando que os recursos necessários estarão disponíveis.

– Processos: Customer discovery includes customer interviewing skills, opportunity assessments and understanding of customer development programs. This is all about getting to minimum viable product. This includes both qualitative techniques including user prototypes and user testing, as well as quantitative techniques including live-data prototypes and split testing. These are the skills to rapidly improve and refine existing products especially with optimization techniques and A/B testing.

Como avaliar um Gerente de Produto, em uma escala de 0 (nada importante) a 10 (muito importante)

1) Conhecimento do cliente (10)
2) Conhecimento da indústria (10)
3) Conhecimento do produto (10)
4) Conhecimento de tecnologia (8)
5) Conhecimento de UX (User Experience Design) (7)
6) Conhecimento de Negócios e Finanças (7)
7) Processo de Customer Discovery (7)
8) Processo de Product Discovery (9)
9) Processo de Otimização de Produto (A/B testing) (9)
10) Processo de Desenvolvimento de Produto (Scrum) (7)
11) Trabalho em Equipe (10)
12) Evangelista (9)
13) Gestão de Projetoss (8)
14) Liderança (6)

  • Nilton Oliveira

    Edson, achei o seu texto excelente! Serviu como uma luva para descrever a função.
    Parabéns!
    Nilton Oliveira